República Democrática do Congo

Aumentar a conservação liderada pelos indígenas na bacia do Congo

Uma pessoa a selecionar legumes enquanto um grupo de pessoas espera do outro lado do balcão.
Logótipo do parceiro RDC da Anapac
Association Nationale d'Appui et de Promotion des Aires du Patrimoine Autochtone et Communautaire en République démocratique du Congo (ANAPAC)

Na República Democrática do Congo, a ANAPAC trabalhará com os povos indígenas em áreas e territórios do património aborígene e comunitário para realçar os seus sistemas de crenças e valores, conhecimentos e competências de gestão de recursos naturais e sistemas de manutenção da paz e estabilidade comunitária para reforçar, melhorar e proteger as áreas e territórios que conservam. 

No âmbito desta iniciativa, o ICI pretende melhorar a gestão de 220 715 hectares na RD Congo, envolvendo 15 000 intervenientes directos no projeto.

PRINCIPAIS OBJECTIVOS E INICIATIVAS DA ICI

Reforçar o processo de identificação e documentação da APAC nas três principais paisagens bio-culturais da RDC

Realizar seminários comunitários locais marcados pelo consentimento livre, prévio e informado das comunidades, visitas ao terreno, cartografia participativa, documentação

Recolher dados biológicos e socioeconómicos e sons e imagens para produzir documentos audiovisuais destinados ao grande público nacional e internacional e aos órgãos legislativos e decisórios da RDC

Reforçar a capacidade das instituições das populações indígenas e das comunidades locais na governação e gestão de 47 APAC típicas nas três paisagens bioculturais em causa

Envolver as instituições dos povos indígenas e das comunidades locais que estão relacionadas com as ACPAs identificadas

Analisar como as comunidades governam e gerem estas ACPAs, identificando os seus sistemas de crenças e valores, conhecimentos, competências, regras de utilização dos recursos naturais, sistemas de monitorização, defesa, manutenção da paz e estabilidade comunitária

Utilizar a ferramenta Processo de Reforço Autónomo (ARP) do Consórcio APAC em cada APAC para dar às comunidades a oportunidade de fazerem as suas próprias descobertas e desenvolverem a sua própria análise e planeamento de actividades

Reforçar a resiliência das comunidades de custódia do ACPA face a várias ameaças ao ACPA.

Facilitar debates com as comunidades para destacar os activos e os desafios relacionados com a gestão e a sustentabilidade do ACPA

Identificar os tipos de apoio, tanto jurídicos como socioeconómicos, que são adequados e eficazes para reforçar a sustentabilidade dos ACPA

Identificar opções adequadas e eficazes para o reconhecimento jurídico da APAC na RDC.

Envolver as organizações jurídicas com os actores mais diretamente interessados, ou seja, as instituições dos povos indígenas e das comunidades locais do país, bem como os aliados e outras partes interessadas na conservação da natureza na RDC

Desenvolver opções "adequadas" e desejáveis com base em vários critérios e perspectivas

Informar e defender o reconhecimento legal da APAC na RDC

Organizar reuniões de sensibilização a todos os níveis para apresentar os resultados das APACs identificadas nas 3 paisagens bioculturais e as opções para o seu reconhecimento legal Envolver as instituições internacionais ao mais alto nível técnico (Secretariado da CDB, Programa Global da UICN sobre Áreas Protegidas, UNEP WCMC) Recolher os dados necessários para a inscrição, no registo internacional das APACs do UNEP WCMC, de várias APACs identificadas nas três paisagens bioculturais Produzir filmes para serem exibidos na televisão congolesa, produzir artigos de imprensa e programas de rádio

Introdução à região

Mapa do Congo
País(es):

República Democrática do Congo

Superfície aproximada em hectares:

661,931

População indígena de Bambuti- Babuluko; Batwa; Bacwa:

66,015

Global Biodiversity Hotspots e High Biodiversity Wilderness Areas:

Bacia do Congo

Áreas-chave da biodiversidade:

Floresta de Irangi; Parque Nacional de Kahuzi-Biega; Florestas a oeste do Lago Edward

Zonas importantes para as aves:

Monte Quénia; Montanhas Aberdare

Sítios Ramsar:

Tumba -Ngiri- Maindombe (Equateur, Maindombe, Sud Ubangi- Mongala)

Sítios do Património Mundial:

Parque Nacional da Salonga; Parque Nacional de Kahuzi Biega

Pessoas a trabalhar sentadas no chão. Uma das pessoas tem um bebé ao colo.
Percentagem da área de terra do país sob propriedade reconhecida de PI ou CL: (Fonte: RRI: 2015. Who Owns the World's Land?)

<1%

Número de defensores da terra mortos em 2016-2018:  (Fonte: Global Witness)

31

Sobre a República Democrática do Congo

A RDC é um dos países megadiversos do mundo, com elevados níveis de endemismo, água doce e recursos florestais. A geografia do projeto abrange 3 paisagens bioculturais da República Democrática do Congo, cada uma caracterizada por uma biodiversidade e contextos culturais diferentes. As três paisagens situam-se no Leste da RDC, no Centro da RDC e no Oeste da RDC. A área do projeto no Leste da RDC insere-se no Hotspot de Biodiversidade do Afromontano Oriental, que se estende por um milhão de quilómetros quadrados e fornece vastos serviços ecossistémicos e um habitat para mais de 100 espécies de mamíferos endémicos, entre outros. Existem várias KBAs de grande dimensão fora de/ou parcialmente dentro de Áreas Protegidas (PAs) que se encontram no Leste e no Centro do país; e incluem: Kokolopori, terras altas de Marungu, montanhas de Itombwe e bacia hidrográfica do Lago Kivu. O projeto proposto cruza-se com várias das KBAs que foram destacadas como prioridades máximas na RDC com base na importância biológica relativa.

As populações indígenas representam cerca de 3% da população da RDC e incluem caçadores-recolectores nómadas ou semi-nómadas e pessoas que se estabeleceram e se dedicam à agricultura ou a outras actividades comerciais. As comunidades que vivem nas florestas dependem fortemente dos recursos naturais para sobreviver, mas a pressão crescente sobre os ecossistemas frágeis está a aumentar a insegurança alimentar e a aprofundar a pobreza entre estas comunidades vulneráveis. O quadro jurídico da RDC oferece atualmente bases limitadas para o reconhecimento do controlo dos PI e das CL sobre as florestas através de áreas protegidas e concessões comunitárias, e não através da propriedade de terras ou outros recursos por parte dos PI ou das CL. Estão em curso reformas nacionais para resolver este problema e algumas iniciativas subnacionais estão também a tentar obter o reconhecimento e a formalização dos direitos consuetudinários à terra. No entanto, de acordo com a Landmark, 86% das terras sob gestão consuetudinária ainda não foram reconhecidas. O governo nacional estabeleceu um objetivo de 2,4 milhões de hectares de florestas sob gestão comunitária até 2023; em 2020, tinha atingido metade do seu objetivo. No entanto, esta meta foi estabelecida principalmente tendo em mente a exploração comunitária de madeira, o que demonstra ainda mais a importância de enfatizar e promover áreas protegidas geridas por PIs e CLs que se concentrem na conservação da biodiversidade e na manutenção de serviços ecossistémicos.

Actividades económicas indígenas:

  • Agricultura
  • Produtos florestais não madeireiros (PFNM)
  • Turismo
  • Pesca
  • Caça

Desafios e ameaças:

  • Alterações climáticas
  • Desflorestação, sobrepastoreio e sobre-exploração da vida selvagem e de outros recursos naturais 
  • Políticas e planos nacionais e regionais ligados à segurança da posse
  • Perda de conhecimentos autóctones 
  • Exploração mineira 
  • Globalização, integração na economia de mercado, influência da cultura ocidental, falta de reconhecimento dos sistemas tradicionais 
  • Exploração madeireira ilegal

República Democrática do Congo

Aliança Nacional de Apoio e Promoção dos Ares e Territórios Conservados pelos Povos Autóctones e Comunidades Locais da República Democrática do Congo

Norte da Tanzânia

Trabalhando através da ICI num sistema ecológico globalmente significativo de pastagens que se estende a sul e a leste do grande Serengeti-Ngorongoro, que apoia...

Território Biocultural de Futa Mawiza

Na Cordilheira dos Andes, no território biocultural de Futa Mawiza, uma aliança de organizações dedica o seu trabalho a salvaguardar a governação de ...

Ver todas as regiões geográficas

inscreva-se para se manter em contacto!

Ao inscrever-se na nossa lista de correio eletrónico, receberá notícias e actualizações periódicas diretamente da equipa da ICI